Frase

Publicação original em https://rosa.iuri.blog.br/frase/
Copyleft rosa.iuri.blog.br

Se tu tem inveja do meu amor é porque quando eu vou te abraçar tu fica de frescura. Cala a boca e me abraça, e a inveja vira gratidão.

#Abraço, #Frase, #Gratidão, #Inveja, #Melindragem

Anúncios

Preocupação (1)

Publicação original em https://rosa.iuri.blog.br/preocupacao-1/
Copyleft rosa.iuri.blog.br

Será que um dia eu vou não me preocupar com as pessoas?

Será que algum dia eu vou conseguir dormir quando eu tiver que pensar em alguém?

Será que faz sentido ficar se preocupando com gente?

Tem algum critério pra determinar quem é que merece e quem é que não merece?

Eu me preocupo. E quem não gostar que se foda.

#Altruísmo, #Amor, #Empatia, #Paixão, #Preocupação, #Solidariedade

Abraço (1)

Publicação original em http://rosa.iuri.blog.br/abraco-1/
Copyleft rosa.iuri.blog.br

Eu consigo abraçar.

Eu ainda consigo abraçar.

Desde que eu voltei para Porto Alegre, em 2012, que eu tenho perdido a esperança de abraçar.

Pois dia 26 de Abril de 2014, talvez exatamente dois anos depois do último abraço que havia dado e recebido, eu abracei novamente.

Porque eu só considero válido o que as pessoas talvez chamem de “abraço realmente verdadeiramente sincero”. Para mim, só é abraço se for “realmente e verdadeiramente sincero”. Os outros contatos físicos travestidos de abraço superficiais e formais, não se configuram como abraço para mim.

Talvez eu esteja sendo radical demais. Talvez os abraços que eu troquei em 2013, principalmente com pessoas relacionadas à Biodança tenham sido efetivamente “abraços”.

Posso então separar estes “abraços” em pelo menos três categorias.

A que me interessa é aquela que eu tinha plenas capacidades de manifestar, dos meus 18 aos meus 23 anos, e que dos 23 aos 26 anos eu não tinha mais experimentado.

Meu abraço “verdadeiro” tem consequências inexprimíveis e inexplicáveis.

Quem já recebeu este abraço, sabe.

O que chamou a minha atenção é que desta vez eu tive a comprovação empírica e irrefutável de que realmente, sem possibilidade de dúvida, não tem como eu abraçar sozinho.

Lei

Não tem como eu abraçar alguém sem ser abraçado.

E agora eu tenho propriedade e autoridade para afirmar isto. Isto significa que não existe, nunca existiu e nunca existirá alguém com capacidade de afrontar esta minha lei: não tem como eu abraçar alguém sem ser abraçado.

Não se trata de uma convicção, uma opinião pessoal, um ponto de vista. É uma força que não é minha, esta afirmação não tem como ser destruída pela minha vaidade, minha inteligência, minha força física, etc. Quem tentar afrontar isto não está me afrontando, é uma lei superior esta.

Experiência e corroboração

Como ensaio para corroboração, porque eu sou cético e só acredito vendo, eu afrontei um indivíduo na rua, em tom de ameaça afirmando que eu iria abraçá-lo. Com meus olhos saltados, com o queixo levantado, entoando a frase “-Qualé que é negão? Tu quer que eu te abrace também? Eu vou até aí e vou te abraçar, tu vai ver só! Fica na tua aí, negão.”, obtive como resultado sinalização de respeito e reconhecimento de autoridade.

Em outra ocasião, solicitei explicitamente por escrito para determinada pessoa que estava em postura de bloquear e repudiar todo e qualquer contato comigo, que eu tinha a intenção de abraçá-la e solicitei permissão para fazer isto. Consegui com isto abertura total para abraçar, e porque eu sinto a energia, enxergo os pensamentos e etc. e tal, posso afirmar com certeza que a autoridade do meu abraço foi respeitada.

Autoridade

Eu tenho a impressão de que minha autoridade não tem como ser vinculada com a minha vaidade ou com qualquer intenção que eu possa ter alheia à vontade da força que me permite abraçar e ser abraçado.

Isto significa que eu simplesmente não tenho como usar o poder do meu abraço para fazer o que eu quiser. Não tem como eu usar o poder do meu abraço para obter qualquer tipo de vantagem, benefício, malefício ou desvantagem.

A força que me permite abraçar e ser abraçado não está interessada no que eu penso, no que eu quero ou no que eu entendo ou interpreto. De fato, eu estou aqui neste momento perplexo, observando atentamente minhas mãos digitando no teclado com pouca ou nenhuma intervenção minha. É psicografia moderna.

Benefício pessoal

Me acalma, me agrada e me conforta saber que está além do meu controle este fluxo de abraços. É bom saber que eu não tenho poder real de afronta e não posso obstruir este fluxo. Isto significa que ninguém além de mim também tem poder real de afronta.

Eu abraço, sou abraçado e não há autoridade alguma capaz de reprimir isto. O abraço é a lei e quem não concorda vai ter que se acostumar com a ideia, porque não tem o que fazer para mudar esta realidade.

Eu admiro, valorizo e ando junto com poderes que não podem ser destruídos pelo ego e pela vaidade.

Preciso dizer que eu estou apaixonado por quem me abraçou?

#Abraço, #Amor, #Paixão

Rancor (3)

Publicação original em http://rosa.iuri.blog.br/rancor-3/
Copyleft rosa.iuri.blog.br

Mestre Joaquim disse:

O #rancor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato. O #rancor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço. O #rancor comeu meus cartões de visita. O #rancor veio e comeu todos os papéis onde eu escreva meu nome.

João Cabral de Melo Neto escreveu o que quis.

Porque todo mundo queria ouvir falar de amor, todo mundo tem medo de ouvir falar do rancor.

Nem todo mundo tem medo de enfrentar e confrontar o amor.

#Amor, #Joaquim, #MestreJoaquim, #Rancor

Felicidade (2)

Publicação original em http://rosa.iuri.blog.br/felicidade-2/
Copyleft rosa.iuri.blog.br

O preço de toda alegria que eu já senti

É sofrer a contraparte de tristeza na mesma intensidade

Cada vez que eu lembro destes momentos alegres

Felicidade é fugaz e eu sinto que preciso aproveitar enquanto dura

Tristeza parece que não vai acabar e não tem nada que eu faça pra passar

Quanto mais eu lembro dos momentos alegres, mais eu fico triste.

#Alegria, #Felicidade, #Tristeza

Acabou o Amor (5)

Publicação original em http://rosa.iuri.blog.br/acabou-o-amor-5/
Copyleft rosa.iuri.blog.br

Eu não abraço mais quando deveria.

Eu aprendi a negar abraços.

Mãe Oxum me disse que não é pra mim negar abraços.

Que eu tenho que abraçar.

Que tem gente que precisa do meu abraço.

Que tem gente que tem que aprender a abraçar.

Que eu tenho que ensinar a abraçar.

Eu desrespeitei Mãe Oxum e estou olhando pro chão e me escondendo.

Será que o rancor fugiu do meu controle?

Será que o rancor é mais forte?

Será que eu sou realmente capaz de julgar quem é que merece abraço e quando?

Será que o rancor vai me derrubar, e derrubar quem precisa que eu esteja firme?

#Abraço, #AcabouOAmor, #Rancor